Uma experiência incrível dirigindo protótipos

O Vorax foi mostrado no Salão do Automóvel de São Paulo de 2010, despertando grande curiosidade no publico. Na época, segundo os construtores, alguns interessados chegaram a deixar um sinal para comprar carro quando ele ticasse pronto. A previsão era de que as primeiras unidades sairiam da fábrica no prazo de dois anos, custando cerca de R$ 700 000 o preço de um Mercedes-Benz SLS, na época. O projeto, porém, não foi adiante. Nenhum dos sócios da empresa explicou direito o que aconteceu.

O fato é que, com a demora para o lançamento comercial, as dificuldades se acumularam. Além das mudanças para atender às legislações dos mercados nacional e estrangeiros, os projetistas verificaram a necessidade de mexer em outras partes do carro, para melhorar a visibilidade e a aerodinâmica, e também cogitaram a troca do motor.

Final mais feliz teve o terceiro carro que decidi destacar aqui, que foi o Alfa Romeo Brera Concept 2003. Como o próprio nome diz, esse era um carro-conceito e, portanto, sem a obrigação de vir a ser produzido. Embora muitas vezes as fábricas chamem de conceito carros que estão praticamente prontos para chegar ao mercado, esse Alfa Brera era um concept-car legitimo, ou seja, um protótipo cuja finalidade era apenas apresentar propostas de estilo, materiais e tecnologias. Ele foi concebido pelo estúdio Italdesign-Giugiaro como um super esportivo do futuro.

Nas palavras do criador, o designer Giorgetto Giugiaro, ele não deveria ser apenas rápido e bonito, mas também funcional. Por isso a carroceria cupê do tipo 2+2. A plataforma e a parte mecânica desse protótipo foram cedidas por um Maserati 3200 GT, também desenhado por Giugiaro. Sob o capo havia nada menos que um motor Ferrari V8 de 400 cv com cambio sequencial de seis marchas.

Segundo Giugiaro, o Brera foi projetado como um show-car que seu estúdio fazia todos os anos para exibir nos Salões do Automóvel internacionais e o fato de ser um Alfa Romeo foi meio aleatório. Mas a escolha se mostrou certeira, porque a Alfa Romeo gostou da proposta, comprou o projeto e aplicou suas características em dois modelos. Os genes do Brera Concept foram transplantados para o superesportivo Alfa Romeo 8C Competizione V8, lançado em 2007, e para o Alfa Romeo Brera cupê 2005. 

O primeiro ficou com o conceito de esportivo 2+2 (o chassi e o motor). O segundo, além do nome, herdou o estilo.Parênteses: nem sempre carros-conceito feitos por estúdios independentes são aceitos imediatamente pelas fábricas. O modelo Luciola de 1992, que Giugiaro fez pensando em um substituto do Fiat 600, não foi comprado pela Fiat. E anos mais tarde a coreana Daewoo adquiriu o projeto, lançado em 1998 como Daewoo Matiz. Muitos outros nem chegam a ser fabricados, como o conceito do Chevrolet Corvette, batizado de Moray,apresentado em 2003.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *