Financiamento de moto sem entrada: Aprenda a se planejar

Financiamento bancário

Você sabe como funciona um financiamento? O financiamento é um processo semelhante a um empréstimo, mas se tratam de valores maiores, logo que são destinados à compra de bens valiosos. O financiamento é a forma mais tradicional de comprar um veículo, possuindo duas modalidades: com ou sem entrada.

O financiamento, assim como um empréstimo, envolve juros. Se tratando do financiamento de motos, os juros enfrentados não serão tão espantosos quanto os de um carro. No entanto, a escolha da modalidade terá grande influência nessas taxas.

A entrada está diretamente ligada aos juros; quanto maior ela for, menor os juros serão. Isso quer dizer que, na modalidade sem entrada, os juros enfrentados são maiores. Por isso, o financiamento sem entrada é considerado um método de compra emergencial.

– Importância do planejamento

O planejamento é uma ferramenta essencial para o sucesso de qualquer atividade no âmbito financeiro. E você que optou pelo financiamento sem entrada já deu sinais de que não se planeja financeiramente bem. Agora é o momento em que ele deve ser aplicado, logo que é a chave para que um mau negócio não seja feito. Confira abaixo algumas dicas para se planejar para a compra da sua moto do jeito certo.

1.    Consulta ao CPF: Para garantir a aprovação no financiamento, é preciso que seu nome esteja limpo. Você pode consultar essa informação no site da Receita Federal.

2.    Consulta ao score de crédito

O score de crédito é aquela pontuação de 0 a 1000 analisada pelos bancos quando um cartão é solicitado. Para conseguir um bom score, é preciso ter as contas em dia. Não sabe do que estou falando? Consulte a situação do seu score no site ou app do Serasa, eles te dirão a exata pontuação e quão boa ela é.

3.    Escolha do veículo

Sabendo que os juros serão maiores, busque por um veículo de excelente custo-benefício. A Honda e a Yamaha são ótimas marcas, caso esteja pensando em comprar uma moto urbana.

4.    Escolha do banco

As taxas de juros podem variar bruscamente entre as instituições; por isso, uma análise de pesquisa é essencial para tal decisão. Atente-se também à dificuldade de aprovação e ao tempo de pagamento até a primeira parcela.

5.    Simulação

Após decidir o veículo e as taxas, você pode usar calculadoras em simuladores gratuitos que te permitem descobrir o que enfrentará e te ajudam a decidir o melhor prazo para financiar; quanto menor, melhor.

6.    Reserva financeira

Se você não tinha dinheiro suficiente para ofertar uma entrada, é provável que você não tivesse uma reserva financeira. Essa é a hora de criar um fundo emergencial para não atrasar as parcelas e ter sua moto apreendida.